Um panorama sobre a Educação Infantil EAD

educação infantil ead

Já faz mais de oito meses que o mundo vem enfrentando a pandemia da Covid-19, o que obrigou vários países a tomar algumas atitudes importantes e impactantes. O isolamento social é a mais clara delas, deixando todos em casa e alterando atividades, antes, feitas presencialmente. E a escola foi e ainda é uma das mais afetadas nesse período.

Para evitar que a pandemia prejudique o ensino, a educação infantil EAD acabou sendo a melhor opção. Não é a ideal no desenvolvimento dos primeiros anos de vida, mas considerando a importância que esta época apresenta no desenvolvimento cognitivo da criança, não é uma boa ideia simplesmente esperar tudo se normalizar novamente. Esse tempo ainda precisa ser aproveitado.

Tanto professores quanto alunos e seus familiares tiveram de se adaptar à educação a distância. E o papel do professor nessa jornada é evitar atritos e permitir o máximo de absorção do conteúdo. Sendo assim, ele precisa ser o primeiro a aprender como ensinar a distância, ainda que seja difícil.

Pensando nisso, a BIC Colorir resolveu falar um pouco sobre o assunto, trazendo informações e dicas para você continuar ensinando bem, mesmo na educação infantil EAD. Acompanhe!

[Especial dia das crianças] Almanaque de atividades para completar e se divertirPowered by Rock Convert

Novos desafios para os educadores

Então, digamos que você acabou de receber a tarefa de dar aula a distância para uma turma do ensino infantil. Pode ser que apenas caia nos mesmos hábitos de sempre, mantendo suas atividades atuais como estão, mas isso também pode ser um grande erro. Afinal, dar aulas pela tela de um computador e em uma sala são coisas bem diferentes.

Para começar, você deve ter em mente algumas das dificuldades comuns da educação infantil EAD e como se preparar para encará-las. Confira a seguir alguns exemplos.

Dar atenção a cada aluno

Já é difícil para um bom professor conseguir lidar com uma turma inteira em condições normais, dando atenção individualizada, se necessário. E esse tipo de cuidado é muito importante para o desenvolvimento cognitivo nos primeiros anos da criança. Agora, imagine ter que conversar com cada aluno separadamente quando há, pelo menos, uma dúzia na mesma chamada, todos querendo falar ao microfone.

Claro que a chamada coletiva não é o melhor momento para fazer essa fala um a um. Mas, ao mesmo tempo, é complicado dividir o tempo necessário para cada um. Você pode distribuir pequenos contatos individuais para os alunos e seus pais ao longo da semana/mês, focando naqueles que precisam de mais ajuda.

Manter a turma engajada nas lições

A cena de crianças conversando e correndo dentro da sala de aula não é nenhuma novidade para ninguém. Praticamente todo professor já teve alguma lembrança bem estressante de tentar com todas as forças ensinar alguma coisa e não conseguir manter a atenção da turma por muito tempo. E tais problemas certamente não vão sumir.

Na verdade, é provável que você tenha mais alguma dificuldade, já que não pode ao menos ver quais alunos parecem mais distraídos. A tela do computador ou do celular é uma forma fácil de levar a distrações, então você precisa desenvolver estratégias para manter todos engajados na aula.

Preservar a interação da turma entre si

A escola não serve apenas para encher a cabeça de uma criança com informações. Ela também é um espaço onde os pequenos da mesma idade podem interagir socialmente uns com os outros para desenvolver suas habilidades sociais. Essa é uma parte fundamental do desenvolvimento infantil que não deve ser deixada de lado durante esse período.

É verdade que, como padrão, os alunos precisam prestar atenção nas aulas e conversar na hora do recreio. Mas, dadas as circunstâncias, não é assim que tudo vai funcionar. Como educador, você também deve incentivar a turma a conversar entre si nos momentos certos e manter contato durante este período de pandemia.

Avaliar o desenvolvimento e aprendizado

Por fim, mas não menos importante, as provas. Além de ensinar, o professor também precisa ter certeza de que o aluno aprendeu. E isso é mais importante ainda na educação infantil EAD, pois falamos de algumas habilidades bem fundamentais, como comunicação, contagem e fala coerente. Se alguém apresenta alguma deficiência, é mais fácil corrigir isso agora do que resolver problemas de aprendizado nos anos seguintes.

Algumas coisas podem ser vistas no dia a dia do ensino, mas a distância complica bastante tal avaliação. Pode ser necessário buscar testes em formado de formulário digital, entrar em contato com os pais ou apenas redobrar sua atenção enquanto conversa com a criança.

Preparo das aulas na educação infantil EAD

Como você pode imaginar, os métodos de ensino em EAD e na sala de aula precisam ser diferentes, especialmente na hora do preparo. Confira aqui algumas dicas que vão ajudá-lo a montar suas aulas.

Adapte materiais já prontos

Um jeito de economizar energia e tempo na preparação das aulas a distância é utilizar materiais que já estão prontos e apenas adaptá-los para o formato. Transformar conteúdos dos quadros em apresentações de slides, utilizar vídeos como parte da aula, preparar testes e exercícios digitalizados, etc.

Claro, algumas coisas terão que ser feitas do zero. Se uma atividade envolve corte e colagem, por exemplo, não vai ser tão fácil colocá-la em prática para todas as crianças. Por outro lado, há várias alternativas que você pode procurar e implementar em pouco tempo, como o uso de aplicativos e atividades digitais.

Foque em atividades interativas

Um dos motivos para muitos alunos ficarem entediados, distraídos e/ou sonolentos em aula é que o ensino tradicional as vezes pode não ser muito participativo. Tudo que as crianças fazem é ficar paradas e escutar, o que é bem difícil para um ser com muita energia para gastar. Por isso que as técnicas de ensino estão mudando de perspectiva, tornando o aluno um participante ativo no processo.

Como professor, você precisa dar um empurrãozinho para que isso aconteça no ensino infantil EAD. Ainda mais com a facilidade que todos têm para se distraírem. Daí vem a ênfase no uso de atividades interativas, seja pela tela do computador, usando aplicativos e sites, seja fazendo algo dentro de casa ao mesmo tempo que a aula acontece.

Use atividades em grupo

Lembra que a interação social é uma parte importante do desenvolvimento da criança? Então, você deve encontrar formas novas de casar esse aprendizado com o ensino dos conteúdos escolares. E as atividades em grupo tendem a ser um passo importante em tal implementação.

Colocar isso em prática é o principal desafio. Chamadas de voz e vídeo não são ideais para conversas com grandes números de pessoas, afinal. Um método eficaz é dividir as crianças em grupos e orientá-las para que que iniciem uma chamada separada. Dessa forma, elas terão a oportunidade de conversar sem se sobreporem.

Durante as apresentações, oriente as crianças para que todas fiquem esperando sua vez de falar. Ao invés de levantarem as mãos, todos podem mandar perguntas escritas com a ajuda dos pais, as quais serão respondidas depois.

Prepare sua máquina e seus equipamentos

Muitos professores acabam se esquecendo dessa parte. Especialmente aqueles que não estão acostumados com tecnologia desse tipo. É aí que você vê os casos de chamadas caindo no meio da aula, microfones muito altos ou muito baixos, ruído, imagem ruim, demora nas respostas, entre outras coisas do tipo.

Claro que, considerando a realidade de muitas escolas e professores, nem sempre é possível fazer melhorias em tempo hábil. Porém, existem algumas alternativas, como o uso de um smartphone no lugar do computador ou mesmo contar com a ajuda de vizinhos ou amigos que tem acesso a internet mais rápida e podem ceder o espaço durante as aulas.

Leve em conta as limitações de cada aluno

Não é apenas o professor que pode enfrentar obstáculos para colocar a educação infantil EAD em prática. Muitos alunos e suas famílias também têm suas limitações com relação à tecnologia. Crianças são bem espertas hoje em dia, mas podem não saber arrumar tudo para entrar em uma aula online. E se os pais também não estiverem prontos, alguém terá de ajudá-los.

Além disso, diversos estudantes não têm uma Internet estável ou não conseguem usar o computador regularmente. É importante levar esses empecilhos em conta e usá-los como base para o planejamento de algumas aulas, buscando a ajuda dos pais e outros familiares para encontrar soluções.

Envolva os pais nas atividades

Falando em pais, eles têm um papel ainda mais importante na educação dos filhos no momento atual. E como muitos deles devem estar dentro de casa também, é a oportunidade perfeita para deixá-los mais próximos do processo de aprendizado. Por mais que as escolas sejam importantes, boa parte dessa educação ainda depende da família.

Ter um adulto presente durante as aulas a distância já é algo comum, pois evita distrações ou erros no uso do equipamento. Porém, isso pode ser levado um passo a diante, com o foco em atividades que envolvam o resto da família. Lições que pedem que o aluno faça perguntas aos pais e a outros parentes, entre outras ações que precisam da participação de um adulto.

Diferenças entre o ensino infantil e fundamental a distância

O ensino infantil, que ocorre nos primeiros anos de vida, é a base para o desenvolvimento da criança. Já o ensino fundamental, quando os conteúdos escolares, como matemática, português e ciências, são introduzidos, ajuda no desenvolvimento de habilidades úteis para os demais anos de estudo.

Por serem dois estágios bem distintos da educação, também é importante que você pense neles de modo diferente. Alguns pontos que deve sempre ter em mente são:

Volume de conteúdo

A quantidade de informação que as crianças podem absorver por vez varia bastante. É verdade que elas aprendem rápido, mas isso não significa que vão simplesmente entender ideias complicadas e abstratas logo de cara. E se forem múltiplos assuntos não correlacionados, então pode ser que nenhum deles fique na cabeça até o dia seguinte.

No geral, quanto mais velha a criança, mais fácil é colocar diferentes conteúdos em uma mesma aula. O importante é saber compartimentar essas informações e dividi-las em porções melhor absorvíveis. Apenas o suficiente para que cada novo conteúdo seja apreendido com qualidade.

Necessidade de atenção

Toda criança precisa de alguma atenção dedicada. Não no sentido de estar presente quando ela quer algo de você, mas sim de acompanhar as atividades para que sejam bem-executadas. E o nível de concentração pode variar dependendo do ensino fundamental ou educação infantil EAD. Crianças no ensino infantil tendem a precisar de mais orientação para tarefas complexas, por exemplo, o que fica mais fácil quando os pais estão presentes durante as atividades.

Já estudantes do fundamental, que passam por vários estágios de desenvolvimento, têm demandas variadas. O jeito é avaliar cada aluno e conferir quais deles necessitam de atenção especial. Mas, em geral, você pode deixar que eles façam as atividades e depois ver os resultados, dando orientação quando necessário.

Envolvimento dos pais

Outra coisa que muda bastante com a idade é o envolvimento dos pais. Sim, o engajamento deles durante o processo e as aulas é essencial para o desenvolvimento, mas, quanto mais velha a criança fica, mais importante é trabalhar sua independência, permitindo que ela tome decisões por conta própria.

Mais uma vez, a regra é simples: quanto mais novo, a necessidade de presença aumenta. Mas ainda é importante que os pais estejam cientes das lições dos filhos em todo o ensino fundamental e continuem dando o apoio necessário ao longo do caminho.

Powered by Rock Convert

Boas práticas na educação infantil EAD

Considerando as diferenças citadas, é claro que você vai necessitar de estratégias diferentes para os dois grupos. Confira aqui algumas das práticas mais indicadas para a educação infantil.

Estimule que um dos pais esteja presente durante todas as aulas

Já mencionamos, mas não custa lembrar: algum adulto deve acompanhar as aulas e ajudar a criança em seu aprendizado. Coisas simples, como auxiliar na utilização da máquina e reforçar as perguntas feitas, podem fazer uma grande diferença no engajamento e na qualidade do aprendizado. Sem falar que os filhos conseguem aproveitar melhor esse tempo com os pais.

Não prolongue o tempo na frente da tela

Para crianças, passar muito tempo no mesmo lugar pode causar ansiedade e agitação e prejudicar a concentração. E como elas já estão dentro de casa a maior parte do tempo, ficar na frente do computador pode ser ainda mais difícil. Por isso o ideal é não criar aulas muito longas. Uma hora é o limite ideal, podendo ser quebrada em tempos menores.

Use a câmera

Quando alguém vê seu rosto, é muito mais fácil se concentrar no que você fala. Além de ser algo divertido para as crianças. Mesmo que a sua câmera não seja das melhores, ainda é interessante usá-la quando for conversar com seu público.

Boas práticas no ensino fundamental EAD

Algumas das dicas até agora são bem gerais e outras voltadas para a educação infantil. Veja agora alguns pontos que devem ser levados em conta na hora de ensinar crianças do fundamental.

Fiscalize o cumprimento das atividades

Dependendo do ano escolar, é provável que o aluno já consiga fazer suas tarefas por conta própria. A dificuldade é fazê-lo se empenhar e cumprir a sua agenda. Por isso que, se você deseja o máximo de aprendizado, precisa ficar de olho naqueles que realmente estão cumprindo as tarefas e tentar motivar os que não estão se saindo muito bem.

Organize bem os materiais de apoio

Outra característica comum entre os alunos do fundamental é a capacidade de usar as ferramentas tecnológicas como parte das aulas. Em outras palavras, eles sabem ler e-mail, ver arquivos no drive e pesquisar coisas no Google. Sendo assim, o professor também pode aproveitar isso, preparando os materiais que serão aplicados e enviando aos estudantes.

A questão aqui é a organização. Nomes, pastas, permissões de edição, entre outras coisas, também afetam a experiência de aprendizado em EAD. Se os conteúdos forem fáceis de achar, será mais simples para os alunos estudarem por conta própria.

Faça perguntas e mantenha os alunos envolvidos

Mais do que absorver conteúdo, os estudantes do fundamental precisam exercitá-lo. Isso significa que eles necessitam falar! E todo professor sabe como pode ser difícil fazer os alunos falarem quando devem.

Uma forma de lidar com isso é fazer perguntas. Não somente sobre a matéria com respostas certas, mas também pedir opiniões e estimular discussões. Na verdade, deixar que os próprios alunos cheguem a uma conclusão e só depois mostrar o conteúdo real é uma ótima técnica de ensino. Isso pode ajudar na construção de mensagens positivas entre a turma.

Acompanhamento da evolução da criança na educação EAD

Com todos esses obstáculos pela frente, a educação EAD certamente é um desafio. E a parte mais difícil para muitos professores é saber se ela gerou ou não os resultados desejados. Mesmo durante a pandemia, não é bom que a qualidade do ensino decaia.

Nesse caso, você pode aplicar algumas das sugestões a seguir para acompanhar os resultados e saber se é hora de mudar de plano.

Aplique testes regularmente

A maneira mais prática e tradicional de testar o aprendizado é por meio de provas escritas ou orais. Praticamente toda escola aplica uma bateria de testes, divididos por conteúdo, e os usa para comparar com o que seria esperado de outras crianças na mesma idade. Se estiver muito abaixo, então é sinal de que a criança necessita de ajuda.

Há duas questões que surgem aqui: primeiro, o tipo de teste precisa ser montado pensando no período de pandemia e em como esse momento pode afetar o aprendizado, sendo os formulários digitais os mais práticos. Segundo, como será feita a aplicação. Afinal, quando alguém está em casa, é bem fácil colar. Mas a ajuda dos pais e um pouco de organização podem ser o suficiente.

Confira as atividades

Além dos testes, as atividades realizadas no dia a dia também podem medir o progresso da criança com alguma precisão. Tais tarefas feitas sem pressão podem trazer alguns resultados interessantes para suas avaliações. Basta que você incentive essas atividades no dia a dia e fiscalize seus resultados.

Na educação infantil, elas podem ser muito importantes para detectar dificuldades no desenvolvimento de algumas habilidades cognitivas. E quando esses sinais são vistos bem cedo, é mais fácil tomar algumas atitudes para corrigir a situação e garantir que o aluno vá se desenvolver bem a longo prazo.

Atente-se à presença nas aulas

É bem fácil para alguém que passa tempo demais em casa perder a noção de rotina. Como resultado, alguns dos seus alunos podem começar a se ausentar das aulas por diversos motivos. Obviamente, isso é um problema severo para a educação da criança.

A fiscalização dos pais já evita as fugas das atividades, mas é bom ter em mente que algumas emergências acontecem. Lembre-se de entrar em contato com as famílias quando alguém estiver ausente com muita frequência.

Escute o feedback dos pais

Feedback é a melhor forma de aprender como melhorar suas aulas. E os pais certamente terão mais opiniões e sugestões do que o comum durante esse período, já que estarão presentes para a maioria das lições. É importante que você escute tais ideias e saiba como usá-las para melhorar as atividades.

Você não precisa colocar tudo em prática. Alguns pais podem ser excessivamente preocupados e/ou exigentes, e não compreender a dinâmica do seu trabalho. Entenda a perspectiva de cada um, analise as ideias e aplique as que fizerem sentido.

Escute os feedbacks dos alunos

E não vamos nos esquecer das crianças! Afinal, são elas que entram diretamente em contato com as lições e têm mais a dizer sobre as tarefas. E, em geral, também são aquelas com melhor entendimento sobre a qualidade das aulas.

A mesma questão dos pais se aplica aqui. Claro que as crianças vão preferir aulas mais divertidas, mas nem sempre essa será a prioridade. Escute, entenda o sentimento geral da turma e veja como consegue incorporar algumas dessas sugestões.

Com tais informações, você já pode melhorar bastante a qualidade da educação infantil EAD entre as suas turmas. Vai levar um tempo para todos se adaptarem, mas manter o aprendizado nesse estágio da vida será muito importante.

E se quiser mais uma ajudinha, confira as atividades da BIC Colorir e comece a usá-las em suas aulas.

As informações contidas nesse material se baseiam em estudos psicológicos da criança e seu desenvolvimento, e servem de base para ajudá-lo com o desenvolvimento e educação das crianças. Os resultados de tais métodos, podem variar de acordo com cada criança, pois seu desenvolvimento dependerá de aspectos individuais e sociais de cada indivíduo.

Notícias relacionadas

EnglishPortuguêsEspañol