O que são funções executivas e como desenvolvê-las na infância?

funções executivas

Entender sobre o desenvolvimento infantil é importante para que os pais estimulem seus filhos da melhor maneira. Assim, os pequenos podem ter suas capacidades desenvolvidas de uma forma mais saudável. As chamadas funções executivas podem ajudar nisso. Você já ouviu falar nelas?

Elas formam um conjunto de habilidades cognitivas capazes de impulsionar a criança a ter sucesso, não somente na escola, mas por toda a vida. Essas funções não nascem com a gente, mas temos potencial para desenvolvê-las. Quer saber mais sobre o assunto? Então continue a leitura!

O que são funções executivas?

Em resumo, as funções executivas auxiliam as pessoas a pensar antes de agir. Elas fazem parte de um grupo de capacidades que ajudam a gente a se concentrar em vários fluxos de informação ao mesmo tempo. Além disso, são essenciais para que possamos monitorar nossos erros, tomar as melhores decisões, controlar impulsos e rever planos.

Quando bem desenvolvidas, essas capacidades ajudam a criança a entender as etapas necessárias para resolver um problema, como:

  • reconhecer a dificuldade;
  • elaborar um plano para solucioná-la;
  • executar o plano;
  • avaliar se ele funcionou ou não.

As funções executivas são fundamentais para o desenvolvimento nas áreas cognitiva, emocional, social e moral, o que torna o indivíduo e a sociedade melhores. Como dissemos, nós não nascemos com elas, mas temos a possibilidade de desenvolvê-las de acordo com as nossas experiências, principalmente na primeira infância e na adolescência.

Quais são as principais funções executivas?

As funções executivas podem ser divididas em 3 principais competências. Antes de aprender como usá-las para estimular o seu filho, entenda como elas funcionam.

Controle inibitório

Ele se divide em autocontrole e atenção seletiva. O primeiro é a habilidade de controlar os próprios impulsos. Já a segunda é a capacidade de se concentrar em apenas uma coisa, como conversar com alguém em um lugar com muito barulho sem se distrair.

Memória operacional

É a habilidade de guardar as informações na mente e saber o que fazer com elas. Isso é importante para que a criança entenda mudanças, saiba seguir instruções e raciocinar.

Flexibilidade cognitiva

É a competência que permite à criança alternar entre uma tarefa e outra. Além disso, é por meio dela que o pequeno pode receber novas informações e reorganizar o raciocínio, juntando esses dados que ele acaba de assimilar. Um bom exemplo disso é o reconhecimento do erro.

Como auxiliar a criança no desenvolvimento?

As funções executivas são desenvolvidas a todo momento, desde o nascimento até a adolescência, mas é nos primeiros anos de vida que ela é mais trabalhada — por volta dos 4 anos. Interessante, não é?

A seguir, confira algumas dicas de como estimular o seu filho para que ele desenvolva essas habilidades:

  • mantenha uma relação positiva com ele. Assim, o pequeno sentirá o seu apoio para lidar com situações estressantes, adquirindo autoconfiança;
  • faça do diálogo e das sugestões métodos disciplinares;
  • estimule a independência do seu filho, mas não deixe de ajudá-lo quando ele precisar;
  • tenha uma rotina organizada;
  • participe ativamente da vida escolar dele, entenda como ele se adapta às atividades diárias, se controla os impulsos, se sabe seguir as instruções, entre outras atitudes;
  • incentive a criança a praticar atividades desafiadoras e motivadoras — pode ser dança, brincadeira em família, música, esporte e artes.

As funções executivas são habilidades essenciais para o bom desenvolvimento da criança. Quando trabalhadas de maneira apropriada, podem nos tornar pessoas melhores e aumentar as nossas oportunidades de sucesso. Por isso, é tão importante que os pais saibam lidar com essas funções e estimulá-las.

O homeschooling — educação domiciliar — é algo que entrou de repente na vida de muitos pais e filhos. Aproveite que está por aqui e leia o nosso post sobre o assunto!

Notícias relacionadas