Homeschooling: como continuar a rotina de estudos dos pequenos na quarentena?

homeschooling

Depois de adaptar o home office à presença das crianças, é hora de superar um novo obstáculo: o homeschooling. Com os pequenos em casa e as escolas enviando atividades online, é preciso caprichar para que a turminha continue aprendendo.

Apesar de essa situação ser desafiadora, é possível contornar as dificuldades e tornar a quarentena mais simples — e mais produtiva. O segredo? Aplicar as dicas certas ao seu cotidiano!

É importante lembrar que apresentaremos algumas informações sobre a educação domiciliar, trazendo seus prós e contras neste texto. As recomendações podem variar de acordo com a sua rotina e ninguém melhor do que você para saber a aplicabilidade de nossas sugestões, não é mesmo? Então, nos acompanhe na leitura!

Afinal, o que é o homeschooling?

É a educação domiciliar. Ou seja, em vez de as tarefas acontecerem em uma escola tradicional, é possível estudar em casa.

Se você estiver estranhando o termo, saiba que isso é normal. No Brasil, todas as crianças precisam ser matriculadas na rede pública ou privada de ensino e aprender em casa não é uma opção. Isso é diferente dos Estados Unidos, em que os responsáveis podem decidir que deverá conduzir a educação dos pequenos.

Só que a quarentena veio para deixar tudo de pernas para o ar, não é mesmo? Com a interrupção das atividades escolares e a necessidade de ficar em casa, a educação domiciliar se tornou uma alternativa.

Esse conceito consiste em realizar atividades em casa para diferentes fases de aprendizagem. É possível utilizar os materiais disponibilizados pela escola ou mesmo agir de forma independente, caso a instituição não tenha liberado nada.

Quais são os desafios para dar continuidade aos estudos em casa?

Sem o apoio tradicional da escola, é normal sentir que a educação domiciliar traz novos desafios. Para encarar essa missão, acredite, é preciso conhecer quais são os obstáculos mais comuns.

Ganhar o interesse dos estudantes

Vamos falar a verdade: estudar, dificilmente, está entre as prioridades dos pequenos em um momento de quarentena. Inclusive, é comum que as crianças vejam esse momento como “férias” antecipadas ou extras.

Se na escola, às vezes, já é difícil manter a atenção e a participação, imagine em um ambiente como o próprio lar. A boa notícia é que com cuidado e uma boa dose de paciência, é possível ajustar a rotina e despertar o interesse.

Conciliar a atividade com outras obrigações

Um dos maiores desafios do homeschooling é a exigência de conciliar diversas atividades. É também preciso se preocupar com o home office, com as obrigações domésticas, com as ações de prevenção contra o vírus… Ufa!

Inclusive, é isso que dá aquela sensação de que as horas do dia não são suficientes e que estamos correndo de um lado para o outro. Para reverter esse quadro, a organização é indispensável. Com um bom planejamento é possível chegar ao final do dia com a sensação de missão cumprida.

Garantir que o aprendizado seja efetivo

Outra grande dificuldade tem a ver com o aprendizado, propriamente dito. O homeschooling não conta com toda a infraestrutura ou com os recursos das escolas. Principalmente, não inclui os conhecimentos técnicos e didáticos dos professores.

É por isso que um receio bem comum é saber se as crianças estão aprendendo direitinho ou mesmo se os conhecimentos estão corretos. Afinal, o objetivo é garantir o desenvolvimento e não atrapalhá-lo.

O melhor jeito de obter bons resultados nesse sentido é utilizar materiais confiáveis. Invista nos recursos digitais da escola, nas apostilas e em fontes nas quais você possa confiar!

Lidar com as frustrações

A verdade é que nem tudo sai conforme o esperado. É por isso que estudar em casa, às vezes, traz também uma boa dose de frustração.

E não é só por parte dos pequenos, viu? Você também pode sentir esses impactos se achar que os esforços não têm surtido efeito ou diante de todo o cansaço. Para as crianças, não entender uma tarefa pode resultar em choro e desistência momentânea.

Manter a calma é o segredo para superar esse obstáculo. Nem todos os dias serão bons ou produtivos — e tudo bem. Saber aceitar a situação e ser compreensivo é um passo importante na experiência.

Como manter a rotina de estudos em casa?

Agora que já conhece os desafios, é a hora de se preparar para conquistar os resultados ideais. A seguir, separamos dicas essenciais para você mandar bem na tarefa de educação domiciliar. Confira!

Defina horários específicos

Lembra-se do que dissemos sobre a quarentena ser vista como férias pelos pequenos? Entre outros motivos, isso acontece devido à falta de rotina. Como as crianças têm mais liberdade para dormir, acordar e realizar atividades, a sensação é de menos responsabilidade.

Para virar esse jogo, o ideal é definir horários específicos para estudar. De preferência, separe o mesmo período, todos os dias, como ocorre na escola. Não é preciso dedicar uma quantidade de horas igual ao colégio, mas o tempo deve ser suficiente para aprender sem pressa.

Tenha o cuidado para organizar o restante da rotina, também. Estudar exatamente antes do jantar pode causar interrupções ou mesmo desconcentração, por exemplo. Então, selecione o melhor horário para a rotina de toda a família.

Crie um cronograma de estudos

Você, provavelmente, não gosta (ou não consegue) fazer a mesma coisa por horas seguidas sem perder o foco, não é? Com as crianças, não é diferente. Por isso, um dos segredos do homeschooling é saber dividir os estudos e as atividades.

Para manter a organização e ter bons resultados, vale a pena montar um cronograma. Defina quais serão as matérias estudadas a cada dia e quais serão os assuntos abordados. Além disso, vale mesclar atividades lúdicas com a teoria. Um experimento de ciências ou um documentário podem ensinar tanto quanto os livros.

Selecione diferentes frentes de aprendizagem

Por falar nisso, o homeschooling não precisa (e nem deve!) se limitar a uma só forma de aprender. Inclusive, a quarentena é o momento perfeito para que as crianças explorem novas possibilidades.

Considerando as necessidades, a idade e o avanço do pequeno, vale selecionar diferentes modelos. Em alguns casos, incluir aplicativos e o ensino online é muito produtivo. Em outros, aprender brincando é o melhor caminho. Para os mais velhos, criar trabalhos e seminários estimula a independência, a pesquisa e o aprendizado.

O truque é testar um pouquinho de tudo e ver o que funciona em cada situação. Afinal, o que importa é o aprendizado, independentemente da técnica escolhida.

Escolha um local especial

Aprender no meio da bagunça dos brinquedos ou num cantinho da mesa da sala de estar não é a alternativa ideal. Também não é interessante estudar em casa no sofá ou de forma improvisada.

O melhor mesmo é separar um local específico para a aprendizagem. Se a criança tiver um cantinho de estudos, é lá que as atividades devem acontecer. Se ainda não houver esse espaço, vale a pena pensar em criá-lo.

Essa é uma solução importante para garantir bons resultados e para manter o conforto. Ao selecionar um local específico, notará como isso faz diferença para o desempenho.

Defina metas e acompanhe resultados

Para dar conta de tudo e realmente fazer progresso, recomendamos estabelecer alguns objetivos principais sobre o ensino. Você pode definir a quantidade de capítulos, temas ou páginas que serão estudados por semana, por exemplo.

Também vale a pena acompanhar os resultados, até para conferir se o ensino tem surtido efeito. Que tal elaborar uma sessão de perguntas e respostas, como se fosse um jogo da televisão? Ou, então, fazer gincanas de exercícios, disfarçados de atividades e brincadeiras? Assim, você terá uma boa ideia de como anda o aprendizado.

Só tome cuidado para não cair na rigidez. A quarentena é um momento delicado para todo mundo e o homeschooling é uma solução provisória. Se uma semana não for tão produtiva, não aplique castigos e nem se culpe — apenas continue o planejamento.

Use a criatividade a favor do ensino

Uma das grandes vantagens do ensino domiciliar é que ele abre as portas para a imaginação. Por estar fora do ambiente escolar tradicional, traz oportunidades especiais para os pequenos e mesmo para você.

Não deixe essa oportunidade passar e comece a aplicar a criatividade para reforçar o ensino. Não tenha medo de recorrer a materiais divertidos, canetinhas coloridas, massinhas de modelar e tudo que puder tornar a atividade divertida.

Assim, além de ensinar, você vai conseguir passar mais tempo de qualidade com os pequenos. Quem sabe, depois, a quarentena não se torne o motivo de boas lembranças?

O homeschooling tem alguns desafios, especialmente em tempos de quarentena. Porém, basta aplicar essas dicas para criar uma rotina mais adequada e obter o melhor desempenho com a educação domiciliar!

Tem amigos que são mães e pais e que também precisam dessas dicas? Compartilhe esse post nas suas redes sociais e espalhe as informações!

As informações contidas nesse material se baseiam em estudos psicológicos da criança e seu desenvolvimento, e servem de base para ajudá-lo com o desenvolvimento e educação das crianças. Os resultados de tais métodos, podem variar de acordo com cada criança, pois seu desenvolvimento dependerá de aspectos individuais e sociais de cada indivíduo.

Notícias relacionadas