Material para artes infantil: veja os apetrechos dos pequenos artistas

material para artes

Você sabe qual material para artes não pode faltar na lista dos seus alunos? Os professores da educação infantil e dos primeiros anos do fundamental têm a importante missão de fazer os pequenos estudantes desenvolverem habilidades variadas.

Dentre os inúmeros pilares a serem trabalhados nessa fase está a arte, por isso, na rotina escolar devem sempre existir tarefas que estimulem os pequenos artistas. O material para artes escolhido é um fator fundamental para o sucesso da criação das crianças, sendo assim, é indicado que ele seja da melhor qualidade.

Contudo, muitos professores têm dificuldade no momento da escolha dos materiais. Se esse também é o seu caso, não se preocupe! O post de hoje foi criado especialmente para ajudá-lo. A seguir apresentaremos um guia completo de materiais essenciais para desenvolver artes na sala de aula! Para conhecê-los é só continuar a leitura.

[Especial dia das crianças] Almanaque de atividades para completar e se divertirPowered by Rock Convert

O ato de colorir como processo essencial de arte infantil

O desenvolvimento do ser humano é um fator constante, que acontece do início até o final da vida. Apesar de nunca parar, é na infância que as pessoas adquirem a maioria das suas habilidades básicas, principalmente aquelas relacionadas à coordenação motora. Esse desempenho motor pode ser classificado como grosso ou fino.

A coordenação motora grossa é aquela que envolve grandes grupos musculares e que provavelmente será desenvolvida em atividades físicas e práticas esportivas. Para trabalhar esse amadurecimento é necessário desempenhar habilidades motoras fundamentais como correr, saltar, pular, arremessar, chutar, quicar e agarrar, por exemplo.

Já a coordenação motora fina é aquela que envolve as funções executivas e pequenos grupos musculares em movimentos menores, que exigem uma maior concentração. É o caso de tarefas feitas com as mãos ou com os pés como desenhar, pintar, costurar, escrever, bordar e colorir. A partir dessa definição, podemos dizer que a arte é uma excelente ferramenta para o desenvolvimento infantil, principalmente para trabalhar e amadurecer a coordenação motora fina.

Neste mundo de arte e educação infantil, uma das atividades preferidas das crianças e que ajuda no aumento de coordenação é o colorir. Tão simples, mas tão importante! Pintar faz parte da infância e quanto mais diversificadas forem as experiências proporcionadas aos pequenos, melhor!

Normalmente, os professores começam disponibilizando materiais e desenhos já prontos para que eles possam aprender a importância de colorir. A técnica vai aperfeiçoando a cada aula e quando comparamos o mesmo desenho pintado no início e no final do ano, a diferença é imensa.

Além de colorir imagens já prontas, outra atividade que agrega muito e desperta o interesse dos pequenos estudantes é propor que eles criem e pintem o próprio desenho. Para aumentar as possibilidades, é interessante ofertar materiais variados como: folhas diferenciadas, objetos com texturas diferentes, canetas com ponta fina e ponta grossa, lápis de cor, giz de colorir, canetinhas e tinta. O importante é variar!

A relação da arte com o desenvolvimento infantil

Quando um professor conhece todas as possibilidades que ele pode alcançar com uma brincadeira, aumentam as chances de ele explorar e guiar a criança para que ela consiga se desenvolver cada vez mais.

Por isso, além de falarmos sobre o trabalho constante da coordenação motora fina proporcionado pela ação de segurar o lápis, o giz, o pincel ou o material que seja para pintar, neste tópico abordaremos ainda outras vantagens que acompanham a introdução de trabalhos de arte na rotina da criança pequena.

Confira a seguir alguns benefícios que a arte traz para o desenvolvimento infantil e não deixe de incentivar os seus alunos a encontrar essas possibilidades em cada uma das atividades que você propõe a eles.

Desenvolver a criatividade

A primeira relação da arte com o desenvolvimento infantil que vamos trazer aqui é a possibilidade de estimular a criatividade. Nessa fase da vida o ser humano passa por um estágio de curiosidade. É normal que as crianças queiram experimentar e criar a partir do ambiente em que estão expostas.

Uma simples caixa de papelão pode virar um carrinho ou um avião. Mas isso só será possível se a criança puder imaginar e criar essa situação, sem a interferência de um adulto. Portanto, para se beneficiar da arte e da criatividade, é legal oferecer os materiais aos pequenos, mas não falar exatamente o que pretende com aquilo.

Muitos pais e até mesmo os professores costumam delimitar a criatividade. Quando oferecem uma folha e pedem para desenhar uma árvore com folhas caindo, por exemplo, a criatividade da criança já estará limitada a essa ideia.

Embora em algumas atividades seja necessária essa estipulação prévia de tema, é importante que na maioria do tempo os alunos estejam livres para colocar no papel aquilo que estão imaginando. Assim, por meio da arte, a criatividade, parte tão importante da personalidade, estará constantemente em funcionamento e sendo aprimorada a cada dia.

Expressar sentimentos e emoções

Outra importante função que a arte pode exercer no desenvolvimento infantil é contribuir para que as crianças consigam expressar sentimentos e emoções. Não é raro que um professor tenha conhecimento de determinada situação que é prejudicial à criança por meio de desenhos que ela faz.

Isso acontece porque os pequenos, muitas vezes, ainda têm dificuldades em se comunicar verbalmente de forma clara. Então, eles encontram no desenho ou na pintura uma maneira de colocar no papel alguma situação que está incomodando eles.

Quando o professor percebe isso, torna-se muito mais fácil conseguir resolver o problema e fazer com que a criança consiga voltar a sua vida normal, sem prejudicar o seu desenvolvimento.

Além de perceber situações ruins que podem atrapalhar o rendimento dos alunos, por meio da arte é possível também observar coisas boas, inclusive da própria rotina escolar. Crianças felizes nesse ambiente costumam colocar no papel com frequência imagens que representam isso, como ela de mãos dadas com o professor, ou brincando com algum colega.

Uma dica muito importante que todo professor precisa colocar em prática quando se trata de arte e educação infantil é sempre perguntar o que aquele desenho representa para a criança. Muitas vezes, um simples círculo significa para ela que ela gostou do final de semana, pois jogou futebol com a mãe, por exemplo.

Para ajudar na identificação de sentimentos e expressões, o ideal é sempre anotar o que o desenho significa. Isso é legal para o professor ter um histórico da produção dos alunos e também para os pais conseguirem entender o que aquela grande obra de arte representa para o seu filho.

Estimular a coordenação e a escrita

Dentre as inúmeras relações que a arte proporciona para incentivar o desenvolvimento infantil, a última que escolhemos trazer aqui está relacionada com o estímulo da coordenação e da escrita.

Por meio da arte as crianças conseguem explorar diferentes sentidos e habilidades como o controle do corpo, a motricidade fina, o sentir, o ouvir e o expressar. Embora possam parecer sentidos óbvios para todos os adultos, na infância eles estão em constante aprimoramento, e quanto mais estimulados, maiores são as chances de se desenvolverem por completo.

O trabalho frequente da coordenação das mãos acaba refletindo em outro fator importante para a criança: a escrita. Alunos que são estimulados desde cedo, desenvolvem melhor a força da mão e o equilíbrio. Isso reflete em uma forma mais segura de segurar o lápis, ajudando no processo de escrita.

As ferramentas essenciais para pequenos artistas

Se você chegou até aqui já sabe a importância da arte e do pintar para o desenvolvimento infantil. Agora chegou o momento de falarmos sobre o principal meio para tornar as artes das crianças possíveis: os materiais.

Sabemos que existe um mundo de possibilidades e dentro desse cenário, algumas opções são mais adequadas que outras. Se você tem dúvidas sobre os melhores materiais de artes para disponibilizar para os pequenos, a seguir conseguirá sanar um pouco dos questionamentos.

Vamos falar sobre os tipos de papéis, materiais para colorir, canetinhas, lápis e giz de colorir que não podem faltar no estúdio de artes. Acompanhe!

Papéis

O papel é essencial para os pequenos artistas. É nele que eles vão expressar a sua arte. Embora pareçam todos iguais, existem diferenças entre os tipos e é interessante ofertar modelos variados, nem que seja de vez em quando.

O papel sulfite branco é aquele básico que todos conhecemos como folha de ofício, e provavelmente esse será o mais utilizado pelas crianças. A folha é mais fina, fazendo com que materiais como o lápis, a canetinha e o giz de colorir já deixem suas cores com facilidade.

Artistas profissionais costumam utilizar o papel Canson. Sabemos que poucas crianças serão artistas profissionais no futuro, mas permitir alguns desenhos neste tipo de folha pode ser uma experiência incrível para os pequenos. Por ter uma gramatura mais elevada, ele se torna ideal para a pintura.

Para um trabalho em grupo, com a participação de várias crianças, é legal utilizar um papel maior, como a cartolina. Para esse tipo de material é interessante utilizar canetinhas ou tintas. Cartolinas coloridas são bons materiais para estimular a criatividade também.

Atividades para colorir

Além das folhas em branco, as atividades para colorir também são excelentes opções para o desenvolvimento da criança. Em desenhos com os traços já prontos, os pequenos precisam ativar a coordenação motora para pintar cada vez mais “dentro” dos limites. Quanto mais a criança exercitar essa função, maior será a habilidade dela para realizar a tarefa.

Também é possível ofertar materiais para colorir que tenham outros objetivos de aprendizagem por trás da imagem. Aqui no O Poder das Cores você encontra atividades gratuitas que englobam a pintura e o conhecimento de outros temas.

Um exemplo é essa receita de donuts. Basta fazer o download, imprimir e oferecer para a criança pintar. Para que a atividade fique mais interessante, seria legal preparar a receita na escola.

Caso não seja possível, você pode conversar com os pais para que eles façam em casa com os pequenos e aproveitem a magia de cozinhar e brincar em família.

Canetinhas

Outro material indispensável para uma produção artística infantil são as canetinhas hidrográficas. Já falamos tanto delas aqui, que dá pra imaginar como elas são importantes nesse processo.

As canetinhas podem ter um papel fundamental na arte das crianças: realizar o contorno dos desenhos. Além disso, elas também são boas opções para desenhar letras de uma forma divertida ou mesmo colorir em cartolinas.

Uma variada gama de canetinhas pode expandir muito as possibilidades. Algumas com pontas mais grossas, outras mais finas, pontas pincel (que possibilitam traços com efeito de pincel mesmo!) – tudo para usar e abusar da criatividade. Um ótimo ponto de diferenciação são as canetinhas ultra laváveis – mesmo que risquem as mãos ou roupas das crianças, saem facilmente ao lavar, facilitando a vida de pais e professores.

Lápis de cor

O lápis de cor é uma das ferramentas favoritas das crianças. Eles costumam ficar horas com um bom conjunto desse material e folhas para desenharem. Existem diversos tipos de lápis que variam as suas cores. Há uma grande variedade de cores, pontas mais grossas ou finas, lápis aquareláveis e até lápis bicolores. Existem também diferentes formatos, como tringulares, redondos e sextavados.

Quanto melhor a qualidade do produto, mais durável e maleável ele será, pois a ponta tende a quebrar menos e as crianças a aproveitam mais! Além disso, essa maleabilidade, vista em lápis de cor feitos de resina, traz segurança pois não lasca e ainda facilita a hora de apontar.

Giz de colorir

O giz de colorir é unanimidade entre os pequenos: todos adoram! O material em cera foi aperfeiçoado e já é possível utilizar todos os benefícios do desenho em giz feitos de resina, sem que as crianças sujem as mãos.

Os melhores produtos também são resistentes à queda, evitando que fiquem aqueles pedaços de giz sem utilidade. Com certeza esse é um dos materiais que não podem ficar de fora da lista dos pequenos artistas, principalmente dos mais novinhos.

Outros apetrechos diversos

Além dos materiais para artes listados acima, há ainda a possibilidade de oferecer às crianças apetrechos diversos. Como já vimos, a variação de texturas e tipos de produtos é positiva para o desenvolvimento dos pequenos. Confira a seguir duas ótimas possibilidades!

Materiais reciclados

A primeira delas é a utilização de materiais reciclados. Aqui existe um mundo de possibilidades! Você pode criar um planejamento semanal ou quinzenal, variando o tipo de produto.

Uma boa ideia é começar com papelão. Ele é um material de fácil acesso para as famílias e permite diversas manifestações artísticas como pintura com tinta, canetinha, giz de colorir e colagem, por exemplo.

Além do papelão outras possibilidades são:

  • garrafa pet;
  • rolo de papel higiênico;
  • caderno antigo;
  • latas.

Materiais naturais

A produção de arte utilizando materiais naturais também podem entrar no calendário de atividades dos pequenos. Objetos como galhos, folhas e terra são excelentes para despertar a imaginação dos pequenos.

A ideia é propor que eles sejam coletados no quintal de casa, um canteiro na rua ou até um pequeno vasinho. Essa atividade pode ser proposta para as famílias uma vez a cada um ou dois meses. Assim, as crianças têm esse estimulo que envolve a natureza de forma frequente.

Os elementos a serem considerados para escolher bons materiais de artes

Chegamos ao nosso último tópico desse super guia sobre artes na infância. Nele vamos abordar a importância de se utilizar bons materiais para que os trabalhos das crianças possam ser valorizados. Confira a seguir aspectos importantes que devem ser observados no momento da seleção dos materiais para se fazer boas escolhas!

Fases de desenvolvimento da criança

Um dos pontos que devem ser considerados é a fase de amadurecimento em que as crianças se encontram. É importante considerar cada etapa do desenvolvimento infantil e quais os produtos indicados para cada uma delas.

A primeira fase é a época das descobertas. Nela, os produtos oferecidos são mais grossos e mais macios. Um exemplo para essa fase é o giz de colorir, que além de ter um formato maior, facilitando o manuseio, também não quebram com facilidade se feitos de resina, como os da BIC Colorir.

A segunda fase é o momento das conquistas, em que as crianças já tem um maior controle sobre os objetos utilizados. Devido a esse aperfeiçoamento, já é indicado utilizar lápis de cor, que têm o corpo mais fino, e canetinhas hidrográficas. Com esses materiais e nessa etapa do desenvolvimento os pequenos já conseguem desenhar aquilo que estão imaginando e com maior precisão.

A terceira etapa é a época do aperfeiçoamento. Nela as crianças já estão maiores e provavelmente suas habilidades motoras finas já estarão bem desenvolvidas. É o momento ideal para o aperfeiçoamento. Para ampliar o leque de possibilidades, é indicado oferecer materiais variados, como canetinhas com pontas diferentes, como as brush pens.

Por fim, a quarta e última fase é o momento da expressão. Nessa altura a criança já consegue desenhar com realismo e detalhes. É nesse momento que ela começa a se expressar por meio da arte, desenhando os seus sentimentos, felicidades e angústias. Os materiais nessa etapa devem ser variados, permitindo que a criança explore e mostre toda a sua criatividade e a sua capacidade de criar.

Durabilidade do material

A durabilidade é um fator bastante influenciado pela qualidade do material. É comum escolher uma canetinha mais barata e ela pintar somente no primeiro dia, ou até mesmo não durar até o fim do que está sendo produzido. Se isso frustra os adultos, imagina as crianças!

Outro problema encontrado em materiais feitos de cera ou madeira, principalmente em lápis e giz , é a quebra do produto ou da ponta de forma constante. Isso atrapalha o desenho e a imaginação da criança e diminui o tempo de duração dos produtos.

Para escolher um material durável é necessário optar pelo que apresenta a mesma qualidade do início ao fim. Não há variação na cor ou na quantidade de tinta que sai no papel, por exemplo. Sendo assim, a durabilidade é um fator positivo encontrado nos materiais de qualidade.

Segurança

Um dos itens que pode facilmente diferenciar um bom material de artes de um ruim é a segurança. Os produtos de qualidade são testados e retestados inúmeras vezes, para garantir que eles atendam aos requisitos de segurança exigidos no Brasil e no mundo.

Além disso, as melhores empresas utilizam matérias-primas altamente selecionadas, evitando que exista qualquer componente tóxico e utilizando tecnologias avançadas que trabalham para evitar acidentes.

Por fim, produtos seguros são pensados e desenvolvidos para atender às necessidades de cada faixa etária, como vimos aqui na BIC Colorir. Além de transmitir segurança, se adaptando a capacidade correspondente à fase de cada criança, eles também facilitam o manuseio.

Vivacidade e intensidade das cores

Sabe aquele desenho lindo, colorido e cheio de vida? Com certeza ele foi feito utilizando materiais de qualidade. Os melhores produtos utilizam tecnologias que deixam as cores mais vivas, tornando a produção mais alegre.

Muitos lápis de cor de qualidade inferior simplesmente não colorem. Inclusive, em grande parte das vezes, torna-se difícil distinguir cores próximas no papel. Nesses casos, a criança ainda precisa fazer força para que a cor apareça. Isso faz com que o material gaste mais, quebre a ponta e necessite de reposição mais rápida.

Qualidade

Um material de artes de qualidade é aquele que engloba todos ou a maioria dos fatores listados anteriormente. É esse conjunto de características que vai formar um bom produto. A qualidade é importante, pois contribui para estimular e motivar as crianças, fazendo com que elas tenham vontade de pintar.

Materiais ruins podem influenciar no desenho, na pintura ou em qualquer arte que esteja sendo feita, diminuindo as chances do resultado esperado ser alcançado. Quando isso acontece, as crianças podem perder o interesse na atividade, deixando a arte de lado.

Utilizar o material para artes correto pode ser um dos diferenciais para fazer com que a criança se encante com a tarefa e desenvolva cada vez mais essa habilidade. Lápis de cor em várias cores, folhas de qualidade e canetinhas que não falham são alguns exemplos que devem estar presentes no estojo dos pequenos.

Para garantir a qualidade, é indispensável escolher uma marca conceituada, que investe em bons produtos e dispõe de uma gama de opções de material para artes, como a BIC Colorir. Visite nossa página, conheça os produtos e sugira ou adquira para os seus alunos os melhores materiais do mercado! Com certeza esse investimento estimulará muito as crianças.

As informações contidas neste material se fundamentam em estudos psicológicos da criança e servem de base para ajudar com o seu desenvolvimento e educação. Os resultados de tais métodos podem variar de acordo com cada criança, pois dependerão de aspectos individuais e sociais.

Notícias relacionadas

EnglishPortuguêsEspañol