Qual é o objetivo de brincar? Entenda como a criança se desenvolve durante a brincadeira

objetivo de brincar

Oferecer um desenvolvimento feliz e saudável é o objetivo de praticamente todas as famílias. Por isso, trouxemos um material especial com a missão de explicar qual o objetivo de brincar!

Afinal de contas, como as crianças conseguem se desenvolver brincando? Essa é uma curiosidade interessante da educação infantil, pois comprova que esse momento de imaginação e alegria é fundamental para um crescimento alegre, contínuo e sustentável. Então, não perca tempo e acompanhe!

[Especial dia das crianças] Almanaque de atividades para completar e se divertirPowered by Rock Convert

Qual o objetivo de brincar?

Se pensarmos por um ponto de vista técnico, perceberemos que todas as brincadeiras estimulam o desenvolvimento de alguma competência. Em brincadeiras mais físicas e ativas, há o exercício constante da inteligência espacial, assim como o aprimoramento da coordenação motora.

Em atividades mais delicadas, como empilhar blocos, encaixar formas ou montar construções, a criança estimula uma série de competências cognitivas e dimensionais, como o reconhecimento geométrico, a noção de espaço e o ajuste fino no controle das mãos.

Além disso, também podemos falar das brincadeiras estritamente cognitivas, como damas, xadrez e afins, em que a criança tem seu primeiro contato com a necessidade de prever suas decisões, desenvolvendo um pouquinho de planejamento estratégico e lógica a cada partida.

Por fim, vale lembrar das brincadeiras cooperativas, como pega-pega, esconde-esconde, queimada, futebol, vôlei, basquete e outros esportes. Em comum, todos esses jogos estimulam o desenvolvimento social, inerente a qualquer situação que exija trabalho em equipe.

Como as crianças se desenvolvem durante as brincadeiras?

No fim das contas, não importa se a brincadeira é livre ou estruturada, pois a criança se desenvolverá enquanto estiver brincando. Inclusive, aqui vale a pena entender a diferença entre esses dois tipos de brincadeira.

A livre, como sugere o nome, surge da vontade espontânea da criança, que pega seus brinquedos e vai a um canto imaginar cenários e se divertir, mesmo que sozinha. Nesse tipo de brincadeira, não existem regras, pois a imaginação é que direciona a atividade, o enredo e seus objetivos.

Já a brincadeira estruturada consiste de uma situação em que o jogo em si contém orientações claras, que são fundamentais para ajudar a criança a alcançar o objetivo em questão. Como pode imaginar, os melhores exemplos são os esportes e jogos de tabuleiro.

Além disso, é importante entender porque as brincadeiras são capazes de promover o aprendizado. Tecnicamente, isso acontece porque elas estimulam uma experiência de curiosidade, desafio e prazer. Combinadas, essas sensações desencadeiam estados de foco, concentração e engajamento.

Com esses elementos, a criança tem o necessário para dar o melhor de si em qualquer brincadeira. Por exemplo, imagine uma situação em família em que o pequeno é incentivado a contar a melhor história possível, que será avaliada por palmas ao final de cada sessão.

Apesar de contar com uma estrutura livre, a brincadeira oferece uma instrução clara de objetivo — contar a melhor história — e recompensa — receber os aplausos. Apenas isso tende a ser suficiente para que os pequenos desenvolvam performances alegres, engraçadas, teatrais e criativas, tudo na tentativa de conquistar a sua plateia.

Nesse exemplo, a criança:

  • aprimora a inteligência emocional, melhorando o reconhecimento de expressões faciais;
  • passa a entender o ambiente, identificando quando a plateia não está engajada;
  • estimula o pensamento criativo;
  • desenvolve linguagem corporal e por aí adiante.

Agora, veja outros exemplos de desenvolvimento!

Aprendem a se relacionar melhor

Esse é um aspecto muito especial das brincadeiras em grupo. A necessidade de colaboração estimula o contato interpessoal. Para isso, a criança aprimora suas ferramentas de linguagem, se tornando cada vez mais precisa na forma como escolhe as palavras e comunica o que pensa.

Logicamente, a criança não se tornará uma diplomata jogando Banco Imobiliário. No entanto, a simples exposição ao conceito de negociar, conceder e chegar a um acordo já a familiariza com uma série de competências importantes, como tolerância, respeito, compreensão e reconhecimento.

Desenvolvem os sentidos

Sem sombra de dúvidas, as questões visual e motora são as mais beneficiadas durante as brincadeiras, sobretudo quando se misturam cores e educação infantil. Como exemplo, destacamos os brinquedos em que as crianças precisam encaixar diferentes formas em diferentes buracos de diferentes cores.

Especialmente desenvolvida para crianças menores, embora seja simples, essa brincadeira é capaz de aprimorar a capacidade visual, cognitiva e motora, estimulando o reconhecimento geométrico e a coordenação motora fina.

Descobrem sentimentos

As brincadeiras são o ambiente mais seguro e confortável para o desenvolvimento emocional de uma criança. Afinal de contas, existem muitas emoções complexas que são inicialmente apresentadas por meio de uma brincadeira, seja na derrota em uma partida ou na perda de um boneco.

Em um ambiente saudável, pais e mães têm a oportunidade de conduzir as crianças na superação de sentimentos, como frustração. Quando esse processo é feito de maneira eficiente e cuidadosa, a criança evita transformar essas emoções em sensações negativos, como raiva e afins.

Aguçam a imaginação

A imaginação infantil é muito fértil, justamente pela falta de exposição a preocupações lógicas e materiais. Por isso, as crianças têm muita facilidade em abstrair conceitos para além do que eles significam na prática, além de sempre escaparem para uma dimensão só delas.

Esse aspecto criativo é muito importante no desenvolvimento de uma pessoa com boa inteligência. Com o tempo, a imaginação facilita com que a criança aprimore a organização das suas ideias, melhorando sua comunicação escrita e vocal.

Aumentam o vocabulário

A própria brincadeira pode ser a de criar um novo vocabulário. Como frisamos acima, a imaginação infantil é praticamente sem limites. No entanto, esse desenvolvimento é possível até mesmo em brincadeiras convencionais, seja em partidas cooperativas, seja em individuais, a criança estará sempre sintetizando o que pensa e sente por meio da fala.

É considerando tudo isso que os pais devem expor as crianças a várias brincadeiras diferentes. Assim, é possível expandir o desenvolvimento, fazendo com que elas aprimorem um maior número de qualidades e competências — o que facilita que a criança encontre sua aptidão.

Você gostou deste post explicando o objetivo de brincar? Então, aproveite para continuar aprendendo mais sobre o tema: assine a newsletter da BIC Colorir e receba as novidades do blog diretamente em seu e-mail.

As informações contidas neste material se fundamentam em estudos psicológicos da criança e servem de base para ajudar com o seu desenvolvimento e educação. Os resultados de tais métodos podem variar de acordo com cada criança, pois dependerão de aspectos individuais e sociais.

Notícias relacionadas

EnglishPortuguêsEspañol