Obras de arte para crianças: como estimular o contato?

obras de arte para crianças

Se você observar com cuidado, a arte está em quase tudo que nos cerca — e não apenas nos corredores dos museus e em exposições. Ao mesmo tempo, conhecer obras clássicas, peças que geram emoções e iniciam debates é muito importante. É por isso que vale a pena apresentar obras de arte para crianças.

Não existe uma idade mínima e, desde cedo, é possível estabelecer esse contato e obter vários resultados positivos e que vão além do desenvolvimento do pequeno. Com algumas dicas, é fácil criar a ponte entre o mundo infantil e o que a arte tem a oferecer.

Quer saber como e por que estimular esse contato? Confira o nosso artigo e veja dicas imperdíveis!

[Especial dia das crianças] Almanaque de atividades para completar e se divertirPowered by Rock Convert

Como estimular o contato das crianças com obras de arte?

O primeiro passo para fazer com que os pequenos se interessem por obras de arte é tornar esse assunto parte do cotidiano. Então, quanto mais cedo você estimular o contato com obras diversas, melhor. Além disso, há alguns truques que ajudam a estimular esse contato inicial, para que ele possa ser desenvolvido mais tarde — e também falaremos sobre isso.

Portanto, veja algumas dicas para começar a criar esse interesse dos pequenos quanto às obras de arte!

Entenda a importância da arte na infância

Antes de introduzir o assunto com a criança, é fundamental compreender por que incorporar a arte no cotidiano infantil. Para muitos adultos, é uma forma de aumentar o repertório cultural e de explorar sentimentos e visões de mundo, por exemplo.

Para as crianças, o contato com pinturas, esculturas, gravuras e outros elementos pode ser isso e muito mais. Como você verá em breve, é uma forma até de desenvolver habilidades essenciais. Ao perceber como isso é relevante, você terá mais engajamento para trazer esse assunto para o dia a dia da família.

Busque maneiras de despertar a curiosidade dos pequenos

Obras de Picasso, Candido Portinari e Tarsila do Amaral podem ser muito interessantes pelas suas formas, cores e elementos. Mas antes de apresentar os pequenos a grandes clássicos ou a produções que você ama, que tal gerar um interesse inicial por meio da curiosidade?

Você pode começar contando que algumas pessoas ganham a vida pintando quadros de todos os tipos. Depois, pode dizer que alguns se tornaram mundialmente famosos e até que existem obras com séculos de existência.

Aposte em curiosidades, dicas e outros elementos que chamem a atenção. A ideia é despertar o interesse para que o assunto se torne uma parte natural do cotidiano e não uma espécie de imposição.

Considere os interesses das crianças

Ao pensar nas obras de arte para crianças, é muito importante pensar no que elas realmente se interessam. Se a cor favorita do pequeno for azul, por exemplo, faz mais sentido começar apresentando obras que caprichem nessa cor, não é?

E isso vale para muitas outras coisas, desde elementos gráficos até objetos, animais ou pessoas nas obras. A ideia é gerar algum nível de identificação logo de cara, para explorar outras possibilidades.

Conforme o pequeno for conhecendo obras, ele deixará claro o que atrai seu interesse. Mesmo que não sejam as suas escolhas prediletas, prefira focar essas alternativas, combinado?

Vá além do papel da escola

A arte na educação infantil é uma ferramenta fundamental e usada desde os primeiros anos de escola. Embora essa também seja uma oportunidade de as crianças conhecerem estilos e movimentos artísticos e suas obras, o ideal é não se limitar à sala de aula.

Por melhor que seja o programa pedagógico, a experimentação de arte em família trará perspectivas diferentes. Então, é interessante buscar formas de incorporar isso dentro do lar, de modo rotineiro.

Nada impede que a produção artística se torne o tema de uma conversa durante as refeições ou faça parte das brincadeiras em casa. Pode ter certeza que isso fará toda a diferença!

Incorpore a arte na rotina de forma natural

Já que a interação com obras e elementos de arte não vai se limitar ao ambiente escolar, o ideal é buscar formas de inseri-los de forma consistente e natural no cotidiano. Como dissemos, a ideia não é fazer com que o pequeno se sinta em uma bateria de testes ou em uma aula o tempo inteiro. A intenção é criar uma relação verdadeira com a arte.

É por isso que vale a pena incluir o tema nas brincadeiras, nas conversas em família e em hábitos simples do dia a dia. Um passeio de bicicleta no parque pode se transformar em uma oportunidade para conhecer obras de arte urbanas ou mesmo para imaginar as paisagens dos quadros conhecidos. Vale a pena fazer da arte um hábito!

De que forma a arte pode estar presente no cotidiano dos pequenos?

Começar a incorporar a arte na vida das crianças é mais fácil do que você imagina. Para tanto, você pode utilizar alguns meios e recursos para trazer o assunto bem para perto de um jeito divertido e prático.

Na sequência, separamos algumas soluções que você pode adotar para gerar essa aproximação!

Pinturas

Quando falamos em obras de arte para crianças, as pinturas estão entre os elementos principais. Os quadros transmitem mensagens poderosas e estimulam o pensamento desde o primeiro contato. De artistas famosos a anônimos, vale a pena mostrar pinturas e explorar suas características.

Animações e curtas

A arte também pode ser conhecida e vivida por meio de conteúdo multimídia. Hoje, temos muitas animações e curtas-metragens que contam a história de um movimento ou de um artista, por exemplo. Essa pode ser uma ótima forma de aumentar o conhecimento!

Jogos e atividades

Não tem nada melhor do que aprender e se desenvolver brincando, não é? É por isso que a arte pode, sim, ser incorporada na forma de jogos e atividades. Com as escolhas certas, além de estimular a reflexão e aumentar o repertório dos pequenos, é possível estimulá-los a criar!

Livros

Os livros também são ótimas oportunidades e trazem cada vez mais possibilidades. Há as opções ilustradas que, por si só, já são artísticas. Também há obras que contam a história da arte e de artistas, inclusive de um jeito lúdico ou divertido.

Aplicativos

Pode parecer que a tecnologia atrapalha a apresentação de obras de arte para crianças, que ficam distraídas com jogos. Porém, é possível aproveitar os recursos a seu favor, como aplicativos que fazem tours em museus ou apresentam obras. Assim, é fácil estimular o contato sem nem precisar sair de casa.

Qual é a importância de ter essas referências desde a primeira infância?

O contato com obras de arte e com a expressão artística, em geral, traz muitos pontos positivos — e não é cedo demais, sabia? Logo na primeira infância já é possível perceber vários aspectos positivos e que ajudam a consolidar bons resultados para os anos que virão.

Depois de conhecer todas essas vantagens, você poderá se dar conta de que investir nessa proposta tem muito a agregar. Por isso, confira o que torna essas referências tão importantes na infância!

Favorece o desenvolvimento cognitivo

Um dos pontos mais relevantes é que o desenvolvimento cognitivo infantil está totalmente conectado às atividades artísticas e à construção de referências. Quando a criança pinta, desenha e coloca a mão na massa (e nas tintas), há um desenvolvimento da coordenação motora e de habilidades manuais.

A coordenação motora fina, especialmente, é aprimorada com as práticas. O ato de desenhar linhas, tentar colorir ou representar certas formas ajuda bastante nesse sentido.

Outros pontos do desenvolvimento cognitivo envolvem a sincronia entre mão e olho, que pode ajudar até na hora de escrever. Por falar em comunicação, o desenvolvimento de linguagem é favorecido mesmo quando as crianças apreciam as obras. Ao tentarem entender o que o artista quis passar, essa habilidade vai ficando mais forte.

Reforça a criatividade

Não tem como falar de arte sem citar a criatividade, não é? Ela está presente cada vez que a criança elabora um desenho com uma história por trás, assim como quando aprecia as obras de artistas. Afinal, a mente pode voar longe, imaginando o significado de cada elemento presente na peça.

Isso é muito importante para o desenvolvimento infantil porque trabalha a imaginação e, mais tarde, favorece a inovação. Afinal, quando uma criança é capaz de caprichar na criatividade, provavelmente ela também estará apta a inventar possibilidades e caminhos que não eram considerados antes.

Contribui para resolução de problemas

A habilidade de resolver problemas é mais que necessária na vida dos adultos. Mas você sabia que ela pode ser desenvolvida desde cedo? Pois é, e o melhor de tudo é que as obras de arte para crianças podem ajudar nisso.

Afinal, resolver problemas tem tudo a ver com criatividade. Então, se a criança recebe estímulos para a imaginação, isso começa a ser aplicado em outros momentos da vida.

Essa questão também ajuda a justificar a importância da pintura, por exemplo. Quando o pequeno tem que descobrir como criar uma cor, dar um efeito especial ou mesmo dar vida ao papel em branco, é como se ele estivesse resolvendo pequenos problemas.

Ajuda no desempenho acadêmico

A relação entre arte e escola não se limita à essa matéria específica. Dependendo de como acontece esse contato com obras de arte para crianças, o desempenho acadêmico sai ganhando em vários sentidos.

Estimular a reflexão e a apreciação de pinturas, por exemplo, favorece o desenvolvimento de linguagem e de interpretação. Também pode fortalecer o aprendizado visual, o que ajuda a garantir um processo mais efetivo na sala de aula.

Envolver os pequenos na arte também pode ajudá-los a se concentrar mais facilmente. Com a criação do hábito de manter e fortalecer o foco, será possível ver resultados melhores no boletim inteiro.

Incentiva a expressão de sentimentos e sensações

A arte também é repleta de sentimentos, sejam eles conflitantes ou não. Quando um artista faz uma pintura, por exemplo, é comum que isso seja um reflexo de quem ele é, do que ele conhece e, principalmente, de como se sente. Diante disso, as crianças poderão aprender a interpretar essas sensações, comparando com as representações.

Além de tudo, as crianças podem expressar os próprios sentimentos quando desejam. O que escolhem desenhar, as cores que usam ou mesmo o local onde desenham são representativos dessas sensações. Então, a criança é convidada a fazer uma reflexão sobre o que e como se sente para colocar no papel ou na tela.

Na prática, o contato desde cedo com aspectos desse tipo é crucial para favorecer a inteligência emocional dos pequenos, que será cada vez mais útil conforme crescem.

Estimula o pensamento crítico

Quando as crianças entram em contato com obras de arte, elas podem ser expostas a um mundo totalmente novo, cheio de possibilidades e outros conhecimentos. É como se isso ativasse “engrenagens” em seus cérebros, levando a reflexões e pensamentos sobre o que está ao redor.

O contato com obras de arte pode ser útil para as crianças terem mais entendimento do mundo, por exemplo. As mais velhas podem ficar por dentro de contextos históricos e entender o que tudo aquilo representa.

O convívio com a arte é uma forma de ter uma exposição cultural ampliada, o que ajuda a criar o que chamamos de repertório. Na hora de conhecer, explorar, analisar e julgar outros elementos do cotidiano, esses conhecimentos ajudam a desenvolver uma visão crítica.

Fortalece os laços afetivos

A arte é capaz de despertar muitos sentimentos, e um deles envolve a aproximação de quem a gente gosta. Ir a um museu ou a uma galeria de arte, por exemplo, permite trocar ideias e percepções, conhecer melhor o gosto do outro, aprender e ensinar. Para os pequenos, isso é muito importante para as habilidades sociais.

Um contato com a arte que envolva atividades coletivas com outras crianças estimula a formação de laços, a tolerância, a empatia, a capacidade de receber críticas e assim sucessivamente. Também é uma forma de gerar mais aproximação e participação da família.

Tudo isso é útil para a criança ser mais sociável e para ter uma capacidade maior de se conectar com as pessoas. Somando isso à inteligência emocional, os relacionamentos tendem a ser favorecidos.

O que fazer para promover o contato e o interesse dos pequenos pelas obras de arte?

Até aqui, você já teve uma ideia de como iniciar essa relação entre as crianças e o mundo artístico. Porém, depois da introdução, vale a pena se aprofundar para realmente incorporar esse tema ao cotidiano e às percepções dos pequenos.

Para facilitar essa tarefa, separamos algumas dicas que podem ser úteis para fazer com que esse contato seja cada vez mais positivo. Confira!

Proponha atividades de criação relacionadas às obras de arte

Nada melhor do que usar as obras de arte como base para propor atividades que vão entreter, encantar e integrar as crianças. Para fazer isso, inclusive, é possível apostar em material reciclado. Além de ter uma proposta artística, é uma forma de trabalhar a sustentabilidade.

É possível, por exemplo, usar rolhas de cortiça como um pincel diferente. A técnica pode ser ótima para reproduzir “A Noite Estrelada”, de Van Gogh, por exemplo. Também é possível fazer colagens e mosaicos com revistas antigas, usar o papelão como uma tela para reproduzir obras, fazer esculturas com rolo de papelão e muito mais.

O importante é deixar a criatividade fluir, dando origem a novas peças e permitindo que os pequenos se expressem e explorem o que aprenderam e observaram.

Busque museus online com áreas voltadas para crianças

Os museus são ambientes perfeitos para garantir o contato com obras de arte para crianças. Além de exposições com peças famosas, é possível apostar em eventos voltados para o público infantil.

Também existem museus com áreas dedicadas aos pequenos ou mesmo que são exclusivos do tema. O Museu Virtual do Desenho da Criança, por exemplo, é mantido com apoio da UNIFESP e da Secretaria de Educação de Guarulhos, de São Paulo. Por lá, é possível ver todos os tipos de obras de crianças, o que pode gerar identificação.

Em Nova Iorque, existe o Museu de Arte de Crianças (Children’s Museum of the Arts), enquanto Oslo tem o Museu Internacional de Arte Infantil (The International Museum of Children Art).

Mesmo opções mais famosas, como o Museu do Louvre, tem tours virtuais que podem ser apreciados com as crianças.

Então, é possível passear e conhecer as obras sem sair de casa. Quando tiver a oportunidade de ir a um espaço do tipo pessoalmente, também vale a pena aproveitar!

Desenvolva maneiras de analisar as obras de arte apresentadas

Tão importante quanto mostrar as obras de arte para crianças é iniciar um debate com base nelas. Isso potencializa a reflexão e permite aproveitar todos os aspectos positivos quanto ao desenvolvimento. Por isso, é interessante buscar formas de analisar as peças.

Depois de ver um quadro com o pequeno, você pode fazer várias perguntas, como mostramos abaixo.

  • Do que você mais gostou? E do que não gostou?
  • O que você acha que o artista quis dizer?
  • Se a obra fosse sua, o que você faria diferente?
  • Como você acha que o pintor fez essa cor ou usou essa técnica?

É importante aguçar a curiosidade, o pensamento crítico e o entendimento da linguagem não-verbal. Assim, o pequeno saberá como se expressar melhor e vocês poderão conversar sobre o assunto.

Adicione referências de modo contínuo

Não adianta iniciar o tema “arte” e querer que o pequeno absorva tudo o que existe de uma só vez. Ainda que você tenha quadros preferidos ou obras que julgue indispensáveis conhecer, o ideal é ir aos poucos.

Ter paciência nesse processo é uma das chaves para ter uma abordagem bem-sucedida, já que a intenção é construir continuamente o interesse, para que ele seja duradouro. Portanto, não tem problema se a criança ainda não conhece muita coisa. O importante é adicionar as referências com consistência, de acordo com os interesses e com a faixa etária, combinado?

Demonstre interesse pelo assunto

Sabe aquela frase que diz que a palavra convence, mas o exemplo arrasta? Pois saiba que ela também é verdadeira quando falamos de obras de arte para crianças. Por mais que você incentive a busca sobre o tema, a criança não se interessará da mesma forma que o fará quando você realmente se envolver.

Então, quando for falar de arte, demonstre um interesse verdadeiro. Não faça apenas perguntas; conte também do que você gosta, o que imagina ou como interpretou uma obra.

Inclusive, você pode incorporar a arte em casa, ao escolher quadros ou esculturas na decoração, estampas em algumas peças e uma bela combinação de cores. Pode ter certeza que isso vai estimular a criatividade infantil.

Também é interessante se envolver nas atividades, realizando desenhos, pinturas e outras produções. Além de isso fortalecer o laço de vocês, é uma excelente maneira de tornar o tema mais natural e presente no cotidiano.

Invista em materiais de qualidade

Lá no começo, falamos de materiais reciclados como “ingredientes” para atividades artísticas. Por outro lado, também é muito importante focar produtos e materiais de qualidade e que ajudem a garantir a expressão completa.

Se a caixa de lápis de cor não tiver muitas cores ou se o giz de cera não for de qualidade, pode acontecer de a criança se frustrar. Afinal, não conseguirá se divertir de verdade ou representar o que viu ou o que criou. Na prática, isso pode desestimular esse contato, até que ela se afaste da proposta artística.

Para evitar que isso aconteça, vale a pena ter uma variedade de materiais artísticos. Você pode investir em um kit de desenho para começar e depois aumentar o estoque de materiais em cores, texturas e formas de usar. Desse modo, a criança terá muito mais liberdade para criar e aproveitar esse contato com a arte.

Apresentar obras de artes para crianças só tem pontos positivos. O desenvolvimento cognitivo, emocional e intelectual é uma das principais razões para investir nisso, o que você pode fazer por meio de atividades, reflexões e até brincadeiras.

Para garantir a melhor experiência para os seus pequenos artistas, não deixe de conferir nossos materiais na loja virtual Mundo BIC!

As informações contidas neste material se fundamentam em estudos psicológicos da criança e servem de base para ajudar com o seu desenvolvimento e educação. Os resultados de tais métodos podem variar de acordo com cada criança, pois dependerão de aspectos individuais e sociais.

Notícias relacionadas

EnglishPortuguêsEspañol